TED 2010

10/02/2010

O trabalho voluntário de traduzir palestras no TED foi recompensado! Neste ano todos os tradutores receberam a oportunidade de acompanhar o evento ao vivo pela internet. Uma explosão de conhecimento e cultura!


Music Globalization

23/01/2010

Brian teve a idéia de reunir músicos localizados em diferentes partes do mundo para compor uma “jam session” virtual. O excelente e surpreendente resultado pode ser visto no vídeo clip abaixo.

Mais uma prova de que atualmente vivemos em um mundo sem fronteiras, aonde tudo é possível!


Aparelhos e Aplicativos Para Otimizar Seu Sono

06/01/2010

Quem nunca acordou de manha após um sono de mais de 8 horas e ainda assim se sentiu cansado?

O sono é um período de repouso para o corpo e a mente, sua qualidade influencia diretamente na saúde física e mental do ser humano.

O adulto médio passa por 4 ciclos completos do sono num período de 8 horas, e cada ciclo desses contém cinco estágios distintos. Existem diversos livros e artigos que podem ser facilmente encontrado na internet explicando e detalhando o comportamento desses ciclos e fases, porém vou fazer um pequeno resumo para melhor compreende-los:

Clique aqui para continuar lendo


Gastronomia Molecular

03/09/2009

Azeitonas esferificadas (textura de ova de peixe, líquidas por dentro e estouram na boca).

Um de meus objetivos é futuramente empreender e investir na área de restaurantes. Porém não em uma gastronomia “comum”, e sim em algo inovador. Enquanto a ciência e tecnologia evoluíram, a gastronomia não ficou para trás. Ela se chama gastronomia molecular.

A gastronomia molecular nada mais é do que a aplicação de princípios científicos para a compreensão dos processos envolvidos na preparação dos alimentos, estudando a composição e alterações físicas e químicas dos alimentos.

O “Rei” da gastronomia molecular no momento é o famoso Ferran Adrià, chef espanhol dono do considerado melhor restaurante do mundo “El Buli”.  O “El Buli” fica aberto apenas de Abril a Setembro, já que Adrià passa os outros seis meses do ano aperfeiçoando receitas em seu laboratório. O Restaurante possui somente 50 mesas, e a preocupação para poder degustar sua obra de arte não é o valor do jantar, e sim o fato de que para cada 500 mil solicitações de reserva somente 7,500 são realizadas.

Não vejo esse tema sendo difundido no Brasil, que é um país com ingredientes diversificados e profissionais dedicados. Eis uma excelente oportunidade de negócio!


O Perigo por trás da Terceirização (Outsourcing)

23/08/2009
Harvard Business Review, August 2009

Harvard Business Review (pag 121) , August 2009

Há Séculos atrás a palavra em inglês “the commons” se referia a uma área onde os animais pertencentes a uma comunidade pastavam. Esses animais não pertenciam a um fazendeiro em específico e sim á comunidade toda.

As indústrias de hoje também possuem commons, eles podem ser considerados a P&D, competências de industrialização e tecnologias específicas. Estes recursos podem ser incorporados em um grande número de empresas e universidades.

Quase sempre esses commons são fixados geograficamente. Por exemplo, a Itália é a casa do design e a Alemanha é conhecida por sua especialidade na engenharia mecânica. A especialidade origina em uma área e tende a se manter nesse local, talvez devido ao fato de que a troca de experiência entre profissionais ocorre de forma mais freqüente quando é feita pessoalmente, de cara a cara. Estar geograficamente perto de um common é uma forte vantagem competitiva.

Quando uma empresa líder em um setor terceiriza uma atividade, corta fundos para uma pesquisa de longo prazo, e ganha uma vantagem de curto prazo, a pressão da competitividade obriga as empresas concorrentes a fazerem o mesmo. Eventualmente todos ao redor estão terceirizando essa atividade específica, e ai desaparece um potencial common.

Levando tudo isso em consideração, fica visível o enorme risco e o perigo por trás da terceirização. Ao perder um common você também perde a oportunidade de participar em um novo mercado que pode surgir no dia de amanha. Um exemplo claro disso são as empresas Americanas (localizadas nos EUA) que ao terceirizaram a fabricação de semicondutores para a Ásia, geraram uma diminuição acentuada no processamento de silício e capacidade de fabricar “thin-films”, diminuindo ou até eliminando suas chances de se tornar um líder no marcado de painéis solares.

A imagem no início do post, do produto KINDLE 2 da renomada empresa Amazon , foi retirada da Harvard Business Review do mês de Agosto, e mostra o porquê o KINDLE não pode ser fabricado nos Estados Unidos. A revista HBV divulgou um texto interessantíssimo (no qual foi baseado este post) explicando como décadas de terceirização nas indústrias trouxeram grande risco para a economia americana, e o que ela precisa fazer para se recuperar.

Segue o artigo na íntegra (Em Inglês): Restoring_American_Competitiveness – Harvard Business Review (July-August 2009)


O mundo daqui a 10 anos

22/08/2009

Você já parou para pensar como será o mundo daqui a 10 anos?

Antes de tentar prever qualquer coisa deve-se olhar para o passado e criar uma analogia sobre a evolução nos últimos anos.  Considerando que o homo sapiens surgiu no mundo há 200 mil anos atrás, fica claro que a progressão foi de ordem geométrica.

A revolução industrial aconteceu no século 18, há 300 anos. O homem pisou na lua somente há 40 anos! A internet que hoje é uma ferramenta essencial na vida das pessoas tem somente 20 anos, foi criada em 1989! E daqui a 10, 20 ou 30 anos? Quantas coisas inesperadas e imprevisíveis serão criadas?

Para se ter uma idéia, hoje existe um projeto chamado VIRGLE, com data prevista para início em 2014, no qual o fundador da “Virgin” Richard Branson e os fundadores da “Google” Larry Page e Sergey Brin levarão uma colônia de seres-humanos para habitarem o planeta MARTE. As inscrições para poder participar se encontra no site  http://www.google.com/virgle/

virgle

A Microsoft criou um curto vídeo de como ela visualiza o mundo em 2019: